A esquerda não tem um método eficiente para as combater

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=gUCYoJ8KSF8

As redes sociais entraram lentamente no nosso dia a dia, mas vieram para ficar. Estas podem ser vistas como uma ferramenta que nos permite conectar com outras pessoas, ou uma que nos permite propagar, disseminar e debater ideias. Neste artigo, estamos mais interessados na segunda (por muito que os dois propósitos não sejam indissociáveis).

Interessa-nos estudar como é que as ideias neoliberais são divulgadas nas redes sociais, e porque é que as pessoas acreditam nelas. Isto implica que têm de existir “pessoas que acreditem nelas”, e que essas sejam facilmente…


Como podemos quantificar o inquantificável? Tratando pessoas como pessoas.

Fonte: https://time.com/longform/teaching-in-america/

Introdução

No passado dia 25 de março, foi publicado um estudo intitulado “Aprendizagens perdidas devido à pandemia: Uma proposta de recuperação”, assinado por Susana Peralta, Ana Balcão Reis, Miguel Herdade, Pedro Freitas e Bruno P. Carvalho. O estudo foi disponibilizado a toda a comunidade na plataforma Zenodo, e foi posteriormente divulgado pelo jornal Público, num artigo escrito por Samuel Silva. Este artigo foi partilhado na rede social Twitter, onde foi alvo de críticas — o que é habitual dado à natureza da plataforma, não fossem estas críticas escritas por professores, ex-professores, estatísticos…


Are you a producer, or a consumer?

https://unsplash.com/@7shifts

Let’s suppose we’re a business. In a sense we are. We have our finances, our most valuable resources are time and health, and we trade our skills for money.

Company XYZ leaves in your desk a work purpose.

You read it. I arrived now at your office and I’m your assistant. You start summarizing the deal:

  • you give to XYZ a lot of time;
  • you also give XYZ a lot of information about yourself — all you’ve got; You will end up buying products “under the influence” of ads or “influencers”. …

Source: https://unsplash.com/@anniespratt

Screen addiction came to stay. At least is what the researchers say. But don’t be fooled by thinking this is a problem of the young.

You probably have the same problem.

You might not believe me right now. You might think I’m just being a pessimist person, who didn’t have anything better to do than to come here and try to talk bad at other people. Or you simply already know the truth and accepted that, and you know perfectly I am talking to you.

Let’s “draw” your day on a piece of paper, and see if I am right…


Parte 2 de “Coronavírus: Vamos aprender a dançar”

N.T: Este artigo é uma tradução de:

Fonte: Espirros e a doença Coronavírus 2019(COVID-19), Jornal da Associação Médica Americana

Na Parte 1, mostrámos porque é que os diferentes caminhos que o Este Asiático seguiu no decorrer da sua “dança”. Alguns padrões emergiram, e mostraram-nos as medidas que são mais importantes para nós.

É agora hora de entrarmos em mais detalhes, de forma a conseguirmos perceber realmente bem todas estas medidas possíveis, e decidir a partir daí quais é que são aqueles que devemos efetivamente seguir. Dividimos estas medidas em 4 blocos:

  1. Medidas baratas que podem ser suficientes para suprimir o coronavírus, como máscaras, distanciamento…

Parte 1: “Uma aula de dança” , ou “O que podemos aprender com os outros países”

N.T.: este artigo é uma tradução de:

Dança é apenas uma descoberta, descoberta, descoberta. — Martha Graham

Há um mês atrás soamos alarmistas com Coronavirus: Why You Must Act Now (N.T.:versão em Inglês,original, devidamente traduzida no final). Após isso, pedimos que os países comprassem tempo com Coronavirus: The Hammer and the Dance (N.T: versão em Inglês, original, também traduzida no final), e olhámos especificamente para a situação dos Estados Unidos com Coronavirus: Out of Many, One (N.T: idem). …


Previsões para os próximos 18 meses, se os nossos líderes conseguirem comprar tempo

Gráfico do número de casos em ordem ao tempo; Legenda: a negro, sem medidas,a vermelho, com ,e a verde — o martelo, e a dança
Gráfico do número de casos em ordem ao tempo; Legenda: a negro, sem medidas,a vermelho, com ,e a verde — o martelo, e a dança

N.T: Este artigo é uma tradução de

Quaisquer dúvidas, comentários ou sugestões relativas ao conteúdo em si, devem ser remetidas para o autor do texto original.

Grande parte das fontes de informação usadas e recursos externos estão em Inglês, pelo que a sua referência acaba por ser redundante para quem não quer ler, ou não percebe Inglês.
É, no entanto, mandatório inseri-las.

Fiz alguma adaptação ao nível das legendas das imagens, e da sua descrição, uma vez que não consigo fazer tradução do texto dos gráficos.

Espero…

Tiago Cascais

College Student. Want to learn from the best, and I like to support indie writers.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store